Troca de acusações na disputa pela CBL

Em meio à troca de farpas, acontece nesta quarta-feira a eleição para o novo presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Na disputa estão a atual presidente, Rosely Boschini, e o ex-diretor-executivo da entidade, Armando Antongini Filho, que montou uma chapa de oposição. A disputa acalorada entre os candidatos é pública. Em 60 anos de existência da Câmara Brasileira do Livro, essa é a terceira vez que dois candidatos concorrem à presidência e, provavelmente, a primeira em que a eleição é tão acirrada. Demitido da CBL por Rosely há cerca de um ano, Antongini contratou até um perito criminal para mostrar que houve fraude em uma nota de viagem de Rosely, de outubro de 2007. Em seu site ela também ataca. Um dos alvos é o candidato a vice-presidente de Comunicação da chapa de oposição, Luiz Fernando Emediato, que é presidente do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). A campanha de Rosely relembra que Emediato é “suspeito de envolvimento de uso indevido de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador FAT”. Acusações à parte, as plataformas de campanha tanto de Rosely quanto de Armando têm projetos em comum. Entre eles, estão a maior aproximação da CBL com o governo, programas de capacitação dos profissionais das bibliotecas públicas, parceria com feiras regionais e a criação de um novo modelo para a Bienal do Livro.

Fonte: Valor Econômico

ABDL

ABDL

Associação Brasileira de Difusão do Livro, fundada em 27 de outubro de 1987 é uma entidade sem fins lucrativos, que congrega o setor chamado porta a porta, ou venda direta (fora internet).

Compartilhar

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.