Mais Livro e Mais Leitura

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, presidiu na manhã desta quarta-feira, dia 7 de outubro, em Brasília, o Fórum Nacional Mais Livro e Mais Leitura nos Estados e Municípios, que reuniu representantes dos governos federal, estadual e municipal, da sociedade civil e do setor produtivo, que lotaram as dependências do salão do Centro de Eventos e Convenções Brasil 21.

“Temos uma dívida histórica com o Livro e a Leitura no Brasil, onde houve um razoável abandono de investimentos nessa área, acreditando-se que a modernidade e a contemporaneidade representavam o enterro do livro, o que não aconteceu”, disse o ministro. Ele afirmou que é preciso que as pessoas sejam treinadas para a leitura e que esta prática seja intensa, prazerosa, sendo três os grandes agentes para que isso venha a ocorrer: a família, as escolas e as bibliotecas.

Segundo Juca Ferreira, o Brasil tem mazelas históricas, como as desigualdades sociais, a incapacidade de se relacionar com os recursos naturais de maneira responsável e outras. “Mas o país entra numa nova era, retoma o desenvolvimento, e o livro faz parte de uma série de procedimentos que o Brasil terá de realizar para retificar o projeto de desenvolvimento”, enfatizou.

Para o ministro, política só se realiza quando chega na ponta, ou seja, na sala de aula, na família, nas bibliotecas, nas comunidades. Aproveitou para enaltecer a “alta sensibilidade do Congresso para com os assuntos culturais, referindo-se à aprovação do Plano Nacional de Cultura junto à Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados e da PEC 150.

Novo portal na Internet

O Fórum Nacional Mais Livro e Mais Leitura nos Estados e Municípios foi promovido pelos ministérios da Cultura (MinC), da Educação (MEC), Secretaria Executiva do Plano Nacional de Livro e Leitura (PNLL) e Instituto Pró-Livro (IPL), que se reuniram para lançar o projeto A Leitura e o Livro nos Planos Municipais e Estaduais (PMLL e PELL). Com o projeto serão estimuladas a criação e a implantação de planos de livro e leitura nas localidades brasileiras, sendo este um dos objetivos do PNLL. Todo esse trabalho contará com os serviços de capacitação e assessoramento às prefeituras e secretarias de educação e de cultura do país.

Para tanto, um novo portal na Internet, intitulado Mais Livro e Mais Leitura, será inaugurado no dia 15 de outubro. O projeto do site foi apresentado aos participantes do Fórum. Para acessá-lo, será necessário entrar no endereço eletrônico do Plano Nacional do Livro e Leitura (www.pnll.gov.br). Nele haverá várias seções, como as reservadas ao cadastro dos órgãos que aderirem ao projeto, notícias, experiências bem sucedidas, depoimentos, perguntas frequentes e outras. Também foi editado um guia para a elaboração e a implantação dos planos, os quais foram distribuídos aos participantes do fórum. A pulicação também estará disponibilizada no portal.

Presenças

Além do ministro Juca Ferreira, fizeram parte da mesa o secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação, André Lázaro, representando o ministro Fernando Haddad; o secretário executivo do PNLL, José Castilho; o presidente da Frente Parlamentar Mista da Leitura, deputado Marcelo Almeida; o deputado Ângelo Vanioni; o vice-presidente do Instituto Pró-Livro, Jorge Yunes; o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Rodolfo Pinto da Luz; Anita Silveira Pires; Leda Maria da Fonseca; e José Fernandes Lima.

Também prestigiaram a abertura do fórum a secretária de Articulação Institucional do MinC, Silvana Meireles, a presidente do IPL, Sônia Jardim, o diretor do Livro, Leitura e Literatura do MinC, Fabiano dos Santos, o diretor do Observatório do Livro e Leitura, Galeno Amorim, o escritor Afonso Romando de Sant’Anna, educadores, secretários de educação e de cultura de todo o país e vários profissionais e especialistas da área.

“Hoje, 7 de outubro, é uma data histórica nesse processo de grandes conquistas que o Brasil teve com as políticas de livro e leitura”, disse José Castilho, que enalteceu a união do governo e da sociedade civil para a criação dos planos estaduais e municipais.

Jorge Yunes assinalou que a idéia do fórum é nobre, que o caminho a ser seguido é mesmo o da junção do governo e da sociedade.

André Lázaro disse ver com muito entusiasmo esse trabalho e que o país precisa de mais livros, mas com a presença sempre bem-vinda do prazer da leitura. Segundo ele, a separação dos ministérios ajudou no desenvolvimento das políticas em torno do livro e da leitura.

O deputado Marcelo Almeida expressou, de forma eufórica, a satisfação de presidir a Frente Parlamentar da Leitura e Ângelo Vanioni enfatizou a importância da leitura para o exercício do questionamento, do entendimento da realidade. “A cultura nos prepara para o futuro”, disse ele.

Texto: Gláucia Ribeiro Lira

Fonte: MinC

ABDL

ABDL

Associação Brasileira de Difusão do Livro, fundada em 27 de outubro de 1987 é uma entidade sem fins lucrativos, que congrega o setor chamado porta a porta, ou venda direta (fora internet).

Compartilhar

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.