Enfim, o Fundo Pró-Leitura

Demorou. Foram muitas reuniões, discussões e negociações. Mas finalmente, na última sexta-feira, 11/9, governo e mercado assinaram o acordo para a criação do Fundo Pró-Leitura. A alíquota será de 0,33% (esse percentual foi validado em Assembleia realizada na sede da Câmara Brasileira do Livro, em São Paulo)da receita de todas as empresas envolvidas nas diversas fases da cadeia produtiva do livro – produção, distribuição e venda ao consumidor. O comitê que decidirá onde aplicar os recursos será composto por 16 membros: seis do governo, seis do mercado – Câmara Brasileira do Livro, Associação Brasileira das Editoras de Livros Escolares, Sindicato Nacional dos Editores de Livros, a Associação Nacional de Livrarias, Associação Brasileira de Difusão do Livro, e um sexto membro rotativo, cujo critério será definido entre as entidades estaduais do livro, dois mediadores de leitura e dois da área criativa. Ao final do terceiro ano de exercício do Fundo Setorial Pró-Leitura, será realizada uma avaliação dos resultados, por meio de uma consultoria independente, contratada pelo Comitê Gestor. Em comunicado à imprensa, as entidades do livro ressaltaram que o diálogo viabilizou o consenso que tornará possível “construir um país de leitores”.

Fonte: PublishNews

ABDL

ABDL

Associação Brasileira de Difusão do Livro, fundada em 27 de outubro de 1987 é uma entidade sem fins lucrativos, que congrega o setor chamado porta a porta, ou venda direta (fora internet).

Compartilhar

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.